A saga urbana de um cadeirante, o motorista de táxi e o Presidente do Povo Lula !!!

As vantagens de eu ser cadeirante são não pagar IPVA, estar livre da "lei sêca" e não ser multado por estar com a "carteira" vencida ou me recusar a soprar o bafômetro. Qual o policial que vai apreender o meu "veículo" ??? Se quiser conduzi-lo terá de fazê-lo sentado no meu colo !!!
Mesmo morando em São Paulo hoje já é possível até exercer "sem culpa" a condição de "gente diferenciada" como qualquer um do nosso povo e viajar de Metrô. Com exceção de várias Estações ainda sem elevadores e da Estação Sé, a maior da cidade, que por ter as plataformas em curva, faz com que o vagão preferencial para cadeirantes apresente um vão tão grande entre a porta do vagão e a plataforma que as rodinhas da frente ficam presas sempre que se tenta embarcar. Nas porteiras de fazendas do "Brasil de dentro" o nome disso é "mata-burro". Já na Estação de Itaquera no fundão da Zona Leste, esse "cuidado" arquitetônico é mais "pertinente" por se tratar de lugar, digamos assim...habitado por uma população mais "flutuante" que por trabalharem longe de suas residências de tão cansadas e com pressa para assistirem as suas novelas não seriam tão "exigentes" desses tais confortos de luxo só garantidos às "massas cheirosas e higienopolizadas" desta cidade (
VEJAM ESSE VÍDEO !!! )
Os ônibus ??? Já dá inclusive pra entrar com cadeira e tudo !!! Isso quando os motoristas dos poucos ônibus adaptados param nos pontos quando tem o azar de visualizarem um de nós.
Guias rebaixadas...Ah !!! Uma maravilha nas ruas e avenidas com muito movimento e que por isso mesmo podem serem fotografadas para as propagandas do nosso governo municipal, no resto o cadeirante que se vire pra encontrar na quadra alguma que sirva também para entrada de automóveis em garagens cujos proprietários não sejam egoístas e megalomaníacos por construirem monumentais rampas nas calçadas para o seu conforto individual e dos seus carros ( não oferecem cordas para os alpinistas transeuntes escalarem ) Já nas periferias de "Sampa" as guias rebaixadas são as que estão quebradas ou com acesso direto da calçada para a rua devido ao acúmulo de terra e de lixo. As calçadas de São Paulo em geral dispensam comentários daí que o melhor mesmo é transitar no meio-fio inclinado ao extremo no canto da rua onde posso trafegar torto e na contramão para ver de frente quem é o motorista que vai tentar me matar sempre que tento fugir dele mesmo assim, enquanto que os pilotos malucos que vem nas minhas costas eu não tenho como saber em razão do meu olho traseiro que é incomunicável e completamente cego. Já me recomendaram instalar um "break light" na cadeira para chamar a atenção mas estou pensando que o melhor mesmo é usar aquele cinto em "X" fluorescente do uniforme de lixeiros pois poderei TALVEZ com ele ser reconhecido como um ser humano em trânsito.
EU DETESTO SER TRATADO COMO "PORTADOR DE NECESSIDADES ESPECIAIS", primeiro que não gosto de carregar nada, de "portar" coisa alguma e segundo que as minhas necessidades não são nada especiais, são muito simples até: Basta me tirarem os degraus da frente que eu me viro sozinho !!! e vou pra qualquer lugar, nem que seja para o lugar onde que junto com os meus valentes companheiros de sagas urbanas , os nossos governantes tanto desejariam !!!
Mas não estou me queixando, não sou disso....ESTOU É PUTO com Kassab, Alckimin, Serra e a porra toda !!!
Políticos que me fazem lembrar dos cachorros e das suas cagadas !!! Que para um cadeirante é outra desgraça, eles, os cachorros, nos tem como os seus principais inimigos tanto quanto os carteiros. É só nos verem e já querem nos morder mesmo estando amarrados aos "cordões umbilicais" dos seus donos e quando tentamos fugir deles aí é uma outra aventura empolgante que despende em nós enorme quantidade de adrenalina por se tratar de um esporte muito radical. Correr de cachorros e ao mesmo tempo desviar das suas "obras" é para nós cadeirantes como um jogo físico e mental que requer níveis de concentração, força e destreza elevadíssimos só adquiridos com muito treinamento dotado a um verdadeiro "aleijadinho ninja" !!!
Desculpem pela longa introdução mas é que eu me empolguei.

Mas vamos então ao que melhor interessa...
Como puderam notar, sempre que preciso de transporte para compromissos com hora marcada me valho dos taxis acessíveis para cadeirantes. Aqui em São Paulo as licenças concedidas por Kassab não passam de 30 para servirem a cidade toda sendo que a maior dificuldade é conseguir agendar um.
No dia anterior ao meu encontro com o Presidente do Povo Lula logo que recebi a confirmação, tratei logo de ligar e garantir o meu taxi para o horário marcado. Torci para que viesse o motorista Valdir com quem já havia sido transportado em outras ocasiões. Agendamento garantido , na terça-feira saí de casa e fui para o Bar "Contramão" aqui de frente me "espiritualizar" enquanto esperava o taxi que me conduziria ao Instituto da Cidadania no bairro do Ipiranga e para minha alegria, não deu outra, quem veio me apanhar foi o Valdir.
Eu dei o endereço do destino mas não disse a ele em nenhum momento com quem eu iria conversar. Quis fazer surpresa. Eu contei que iria visitar um amigo que trabalhava lá. No caminho fui conversando com o taxista e perguntei de onde ele era ao que me disse que é baiano de Seabra, considerada "a capital da Chapada Diamantina" e perto de Feira de Santana ( na Bahia todas as cidades ficam perto de Feira de Santana !!!) e foi então que eu lhe repliquei:
"-Que coincidência !!! O amigo com quem vou conversar também é "baiano" !!!
"Baiano" era o apelido do Lula quando ainda era apenas torneiro mecânico na Villares e antes até de ser Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema. Muitos dos seus mais antigos amigos e companheiros ainda o chamam assim até hoje.
Pois bem...chegando lá pedi ao Valdir se ele não poderia me fazer o favor de entrar comigo para me ajudar com a cadeira e ainda poder tirar fotos, já que queria registrar aquele encontro como lembrança. Ensinei como usar a maquina e entramos. Não contei nada !!! O escritório do Lula fica no andar de cima do prédio do Instituto que possui escadas daí que eu pude estrear a área aberta do térreo cujos móveis, me disseram, haviam chegados no dia anterior. Fui o primeiro visitante a ser recebido naquele novo espaço !!! Eu e o Valdir é claro.
Agora...voces não fazem idéia da cara de espanto do taxista quando o Lula apareceu e me abraçou. O "caba" ficou branco e "parafusado" na poltrona !!! Tão de olhos arregalados quanto embasbacados !!! Foi preciso que eu logo lhe apresentasse ao Presidente do Povo Lula dizendo se tratar do taxista que me levou e que eu o escalara como meu fotógrafo e "cinegrafista" além de dizer de que era baiano !!!
Para a minha surpresa o Valdir revelou que já conhecia o Lula desde que trabalhou na fábrica da "Termomecânica" em São Caetano junto com o Wagner Lino fábrica esta que ficava ao lado da Villares onde o Lula trabalhou. E disse ainda que há vinte anos atrás, quando certa vez Lula concedeu uma entrevista coletiva à imprensa em um hotel, o Valdir era, segundo ele, "segurador de lâmpada" de "cameramem" com quem fazia "bico", mas que com o Lula mesmo nunca conversou. FOI LINDO !!!
O Lula lhe deu um abraço apertado e começou falando do Wagner Lino, seu amigo histórico e que até hoje ainda é vereador pelo PT em São Bernardo do Campo. (cliquem aqui para saber)
Eu já sabia que o Valdir era petista, só não sabia da sua história, que depois na volta para casa ele me contou. Uma história bonita de "caba trabaiadô" que sempre deu duro na vida até poder hoje ter esse seu táxi e tudo por conta de só conseguir financia-lo depois que o Presidente do Povo Lula assumiu. JÁ PAGOU !!! E obviamente pode agradecer ao Lula pessoalmente, coisa que jamais poderia esperar nessa vida não fosse aquela corrida que o Valdir disse ter sido a melhor de todas que já fez, o Valdir se emocionou muito por conhecer "o maior e mais importante Presidente da República de toda a História do Brasil", segundo palavras dele mesmo !!!
A emoção foi tanta que ele até esqueceu de que era também para "filmar" o encontro com o Lula mas só conseguiu tirar aquelas poucas fotos. Isso depois do meio pro fim da conversa quando perguntei a ele se estava registrando tudo e ele "acordou" !!!
Conversei com o nosso companheiro Lula sobre vários assuntos, até sobre coisas internas ao PT, mas o Valdir que testemunhou é "DO LADO DE CÁ", é dos nossos, é trabalhador, é brasileiro feliz e portanto é de casa !!!

Tudo foi bom !!!

Em tempo: Quando eu pela primeira vez estive pessoalmente com a Presidenta Dilma na Quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo bem antes da campanha eleitoral adivinhem quem foi o meu motorista de táxi ??? Valdir !!! O motorista cujo número do táxi acessível tem final 13 !!!

Foto de José Chrispiniano

7 comentários:

Cloaca News disse...

Pô, véi, chorei de novo!!!

Gil Teixeira disse...

Enio, valeu!
Valeu mesmo!
Abração pra você e pro Valdir!

jegue disse...

Lula é o "cara" mesmo!

Anônimo disse...

Cara eu pensava ser a maior macaca de auditório deo Lula, mas você me desbancou

Anônimo disse...

Como diz o poeta Billy Blanco: O que dá pra rir dá pra chorar, questão só de peso e medida, problema de hora e lugar, mas tudo são coisas da vida....
Mesmo com todos os atropelos que a vida lhe proporciona, o moral está sempre prá cima. A maneira de você relatar a sua saga seria cômica se não fosse trágica.
Meus parabéns

Blog do Berzoini disse...

Grande, Enio. Muito boa essa história. Você deu um belo presente pro amigo taxista.

Abraço do Berzoini

Renata de Oliveira disse...

Me emocionei!
Adorei e voltarei sempre!
Abs
Renata