E o PIG correndo atrás de carniça...

Enquanto a nossa irrecuperável "imprensa urubuzeira" vai para o Haiti com o único intuito de "caçar" imagens de cadáveres e da destruição , este blog prefere apresentar estas outras e não menos inesquecíveis em homenagem àquele nosso povo irmão. Tão pobre e tão sofrido, mas com uma coragem de lutar pela sobrevivência de fazer inveja ao resto do mundo. Um mundo hipócrita, individualista e capitalista que os esqueceu e os abandonou durante séculos e só agora começa a dar sinais do seu remorso.
QUE A SOLIDARIEDADE DO MUNDO NÃO DURE SOMENTE ATÉ O DIA DO FIM DE MAIS ESTE FUNERAL !!! QUE LÁ PERMANEÇA ATÉ QUE A CONTA LHES SEJA INTEIRAMENTE PAGA !!!




3 comentários:

Luiz carlos disse...

Prezado Enio.
Mas, até onde se sabe, a imprensa 'urubuzeira, ainda não tem o poder de provocar abalos sísmicos -pelo o menos geológicos-. nem a urubuzeira e nem a panfletária enganjada e aparelhada.
O Haiti sofreu o mal do terceiro mundismo que é a presença de governos autoritários e salvadores da pátria. Era Pap Doc, Baby Doc e outros assemelhados. E, que não se diga tratar-se de salvadores apedeutas, mas, por lá, o salvador, ao contrário, era da elite, tanto o pai como o filho.
Os outros países miseráveis Africanos, ao contrário, enveredaram-se pela proposta alternativa ao capitalismo e, os fatos e a realidade mostram que, a alternativa resultou no 'socialismo selvagem' que, por comparação, deu o status ao capitalismo de: HUMANISTA.
É Enio, o capitalismo, diante do fracasso do socialismo Marxista tornou-se; Capitalismo humanitário.
Um abração.
Luiz Carlos.

DiAfonso disse...

Olá, caro Cumpadi Enio!Bom dia!

Gostaria de que, se possível, divulgasse o abaixo-assinado que a editoria do Terra Brasilis redigiu.

Abs

DiAfonso

Link para o abaixo-assinado:http://profdiafonso.blogspot.com/2010/01/abaixo-assinado-afastamento-do-consul.html

Peço desculpas por usar esta caixa de comentário para tratar do abaixo-assinado.

benedictus disse...

Enio,


Nos anos 80 tive a oportunidade de visitar Porto Principe a qualnaquela época notei estar passeando em uma grande favela.
Sendo o primeiro pais de negros livres dentro das américas, sofria internamente e externamente o peso do racismo que levou a derrocada um pais que tem em sua bela geografia caribenha tudo pára existir.
Quando falam, reconstruir o Haiti,pergunto, reconstruir o que?
Poderiem falar Temos que cionstruir o Haiti, dar infraestrutura basica, ou seja, saneamento, agua encanada casas decentes, simples mais hifgienicas dando a base para que exsita um pais, pois o terremoto destruiu algo, uma coisa, menos um pais.
O povo, em sua maioria esmagadora de negros, mantem resquicios de uma cultura africana que chamam de Vudu, o que nada mais é do que a umbanda, o camdomblé existente aqui também.
Você postou no balaio o absurda que a Sandy falou. Entendo a visão dela, mas não entendo a visão do consul haitiano em S]ão Paulo que fez comentários racistas e egocentricos sobre o acontecido em seu país. O problema para ele é a macumba que os negros praticam e completou onde tem negro tem desgraça! Este sim é um alvo para destilarmos nossas criticas, nosso despreso pois não é um ser humano, é uma coisa.
O mundo todo está comovido com a tragédia, muito mais comovido do que quando ocorreu o Tisunami na Indonésia, ou mesmo o terremoto na mesma escala de 7.0 ocorrido na cidade de Los Angeles que apesar da mesma intencidade não chegou a metade dos mortos.
Mas, nós, simples pessoas podemos ajudar de alguma forma. Orando e colocando donativos onde estão os postos de coletas como a rede Pão de Açucar. Hoje, dividi dois sacos enormes de roupas que nãso utilizamos mais e mandamos metade para o Haiti e a outra parte para os desabrigados de Angra que esta comoção mundial não pode apagar a necessidade de nossa memória.
Também temos nosso Haiti por aqui, não nos esqueçamos disto.
Graças a Deus nossas tropas estavam por lá e podemos presatar os primeiros socorros a este povo, sofrido, marcado na cor da pele e esquecido do mundo.
Não acho que seja o mal do terceiro muindo, acho sim ser o mal do imperialismo que caga e anda para quem não serve, e o Haiti, nem para base americana não servia pois a guerra fria acabou e Cuba, a poucos metros da ponta da ilha, não representa mas nenhum perigo.
Mas, hoje, pouco importa isso, importa sim que temos que ajudar, que estendwr a mão, de alimentar com comida mas também com subsidios, tecnologia, educação para que como uma Fenix, o Haiti surja dos escombros!