Niquinha, o cidadão invisível

Passageiros do PTrem das Treze, estamos de volta aos trilhos do Brasil e como em toda primeira viagem do mês homenagearemos algum grande brasileiro, só que nesta, a primeira de 2009 o homenageado será o Niquinha.
Niquinha é um morador em situação de rua e cooperado catador de papel que conheci quando de minha passagem pela Prefeitura de São Paulo onde fui Coordenador de Ação Social da Subprefeitura de Santana/Tucuruvi durante a gestão Marta Suplicy de 2001 a 2004. Nosso primeiro encontro aconteceu quando eu descia a ladeira da Rua Voluntários da Patria em um dia de chuva e emparelhei o carro no vermelho de um farol ao lado daquela pesada carroça sustentada por ele com muito esforço e da janela comentei:
-"Rapaz, esta ladeira é muito íngreme e com esta chuva qualquer escorregão é um perigo, voce não tem medo de se "esborrachar" lá em baixo?" e ele:
-"Que nada, a carga é pesada mas meu freio é de formula-1!!!"
O "freio" a que Niquinha se referia eram as tiras das surradas sandálias havaianas que ele calçava e que apesar da "propaganda" do fabricante não me pareceram nada confiáveis diante dos paralelepípedos lisos por conta da chuva e do peso que ele carregava, se uma daquelas tiras se soltasse o acidente poderia ser fatal. Pedi que ele "amarrasse" a sua carroça no "carro oficial" em que eu me encontrava e apesar dos protestos do "meu" motorista, chamei-o para dentro do carro e levei o Niquinha para seu destino que era uma praça logo acima da estação do Metro. Ali conheci seus colegas de trabalho, isso mesmo, de trabalho, embora a maioria da população classe média de São Paulo considere moradores de rua como "vagabundos imundos" ou verdadeiros "lixos da sociedade" como muitas vezes ouvi ou recebi reclamações por escrito durante o meu exercício naquela função pública. Era e é essa "classe média" de Santana que exigia da Prefeitura a "retirada" e o expurgo imediato de "mendigos" que segundo eles "sujavam" e "emporcalhavam" a bela imagem das praças e ruas desta (segundo eles) "nobre" região de São Paulo, sem levar em conta que pela proximidade do Terminal Rodoviário e do forte comercio da região esse tipo de situação é inevitavel como o é em qualquer grande cidade do mundo. Naquela gestão eu nunca respondi nem atendi na forma como pretendiam esses "contribuintes", a nenhum de seus "apelos" e talvez por essa ou por outras razões semelhantes é que na eleição para prefeito de 2004 o Serra tenha obtido cerca de 75% dos votos nesta região norte da cidade e o Kassab viesse a repetir a dose em 2008 .
Mas voltando ao Niquinha, que adorava repetir seu ininteligível bordão "Era ou não era?", foi a partir daquele encontro com ele e seus colegas, que nós criamos a primeira de muitas outras Cooperativas de Catadores de Papel em nossa região e nos utilizamos do enorme Centro de Reciclagem do Lixo da Funerária, uma iniciativa dos companheiros da Subprefeitura de Vila Maria que aliado ao Projeto Boracéa acabou sendo um dos marcos da administração petista em nossa cidade pois alem de criar tantos novos empregos e dar moradia e dignidade aos cooperados em situação de rua também marcou o início de uma pretensa conscientização cidadã em sintonia com a modernidade ecologicamente correta das grandes cidades do mundo.
Pois bem, veio José Serra "O Sabugo Liso" eleito em 2004 e sob o pretexto de "acabar" com a tal Taxa do Lixo, acabou também com a Coleta Seletiva, com os Centros de Reciclagem, com o Projeto Boracéa e deixou com que as Cooperativas de Catadores de Papel se virassem e se mantivessem sozinhas até hoje sem o mínimo apoio do poder público municipal.

Neste final de 2008, eu soube que o Niquinha veio a falecer por conta do seu alcoolismo e foi por esta razão que escolhi esse batalhador e cidadão invisível das grandes cidades para ser o meu primeiro homenageado do ano e também para fazer as outras justas homenagens aos outros tantos "Niquinhas" que como ele devem ter tido o mesmo fim, tanto pela falta de oportunidades de vida e de trabalho como também pela famigerada "higienização da cidade" iniciada pelo então prefeito Serra quando mandou que colocassem pedras, cacos de vidro, oleo queimado e dizem que até "uranio enriquecido" (não duvido) sob as pontes e viadutos da cidade e que agora em uma segunda etapa, Kassab essa "Louca e Varrida Figura" ora alcaide de São Paulo, amante de um espanador e de uma "Cidade Limpa" parece se "divertir" desferindo diariamente jatos d'água de forma covarde e estúpida nos moradores de rua durante as muitas frias madrugadas de nossa metrópole.
Vejam então que nem aquelas frágeis tiras das sandalias havaianas daquela tarde chuvosa de sete anos atras não conseguiram fazer com o Niquinha o que esse desgraçado desgoverno Demo-tucano conseguiu agora com o esse seu odioso e desumano tratamento dado aos pobres e menos favorecidos, que atende prontamente às reivindicações de seus belos, limpos, satisfeitos e orgulhosos eleitores dessa tradicional classe média paulistana hegemônica em Santana. Que Deus os receba!!!
Niquinha se ainda estivesse entre nós, tenho a certeza de que estaria participando daquela linda festa de Natal ocorrida no dia 23/12 na quadra do sindicato dos bancários. A festa anual é promovida pelo Padre Julio Lancelotti, e pela sexta vez consecutiva (Niquinha não faltou às outras cinco) conta com a ilustre presença do Excelentíssimo Senhor Presidente da República Luis Inácio Lula da Silva (como preferem os elitistas).

-"Niquinha, eu não sei não, mas acho que eu te vi na TV naquele dia e como todo brasileiro que ainda tem alma também chorei de emoção. Voce era um daqueles que pulava, dançava, abraçava e festejava mais um Natal com o nosso Lula. Era ou não era?"

5 comentários:

TERROR DO NORDESTE disse...

Enio, você voltou em grande estilo.Abraços.

Cloaca News disse...

Pô, Ênio...estávamos com saudade sua!!!

Anônimo disse...

Enio bom dia, como vai?

Bem eu espero, pelo menos tomando todas, por favor tome umas por mim, destas eu já não posso mais!

Sim tenho guardado a sete chaves uma garrafa histórica da manguaça mais famosa de Cambará, do meu velho amigo Takahashi, é uma legítima Cauim, já ouviu falar?
Tá vendo você sabe pouco sobrê cachça!
Tenho também um magnífico exemplar da Alambari, esta do irmão negovéio o japa Luiz Tida, bebia mais que destilava, mas era na épóca a "marvada" mais vendida nos arredores do velho Norte, Região que compreendia as cidades adjacentes e circunvizinhas de Londrina, como a minha velha Cambará!

Portanto a Alambari, não é uma raridade como a Cauim!

Bem agora que é sabido de sua parte que sou possuidor de uma imensa fortuna, fica aqui um convite e uma promessa: Só vou abrir uma ou as duas quando sentarmos no mesmo canto!
Talvez eu até arrisque dar um gole, ou um gorpi, como diria a dona Luiza!

Tem mais, cê pode até levar o Luiz e o Ricardo,eu nem ligo, eu gosto dos seus textos e se são seus amigos também vão ser meus, aliás o Ricardo eu acredito já o ser, embora ser meu amigo no caso de vocês é ser réu confesso, eu sou todo diferente! Mas nem tanto, quero bem do país tanto quanto vocês!

A vida nem sempre é o que a gente gostaria que ela fosse não é?

Senti uma certa indisposição de sua parte, quando um dia a minha filha do coração a Leidi, mencionou que um dia eu fui militar, você se recorda?

Enios sempre digo as pessoas, e repito: Foram tempos difíceis,foi ruim para todos, todo mundo saiu perdendo, principalmente a democracia, você por ocasião de um diálogo que mantivemos mencionou o Erasmo, ao qual prontamente concordei com você, era um brutamnontes truculento, fica difícil enxergar naquele camarada um bompai, um bom avô e afins, mas ele segundo soube por quem conviveu com ele, o era!Cometia excessos em demasia mas era mais por mêdo do incerto e inesperado que por valentia e patriotismo insano!
E assim cada qual naquele tempo agia seguindo ordens e as suas próprias convicções!
Quanto a mim Enio, só cumpri meu dever, e como mencinei em uma página do balaio, a gente era só alvo fixo,e particularmente acredite, nunca fiz nada além de responder a chamada e ensinar ordem unida e afins, nunca fui da ostensiva, e nem quiz quando convidado, não me imagino erguendo minhas mãos contra um semelhante!

Se continui com meu país de fato Enio, certamente foi lecionando e pregando a palavra de Deus, agora ser o que sou não me impede de discordar de algumas almas penadas que diferem de você e do Simei por exemplo nos quadros do PT ( Perdoe-me por não compactuar com este sentimento)

Bem querido, escrevi o que estava em meu coração, e o que escrevi? Escrevi! faça o seu julgamento e espero que continue meu amigo,

manoelferreiraconsultoria@ig.com.br

Fique com Deus!

Manoel Ferreira

Enio, o "Picador de Bilhetes" disse...

Meu Caro Manoel Ferreira

É uma honra receber a tua visita neste meu pequeno blog, ambiente inóspito para voce com certeza, mas de coração aberto a todos que quiserem partilhar de minhas histórias e opiniões.
Terei prazer em te-lo aqui como "passageiro vip", venha discordar a vontade !!! A casa é tua e o trem é teu.
Democracia é um valor sem donos.

Anônimo disse...

A honra é toda minha pela sua gentileza de consversar com um contrário, eu só penso um pouco diferente de você em relação a algumas pessoas, por exemplo não penso mal do Luiz Ignácio, porém vejo poucos avanços no seu governo, mas ele tem uma meia dúzia de amigos que francamente Enio, mas cada um sabe o que faz, e ele deve sabê-lo também.
Se existe ou não algum onus por isso só o te,mpo dirá, eu por exemplo estou me esforçando ao máximo par aceitar um Tarso, uma Dilma,como ministros, a mim estão longe demais das cadeiras que ocupam bem como achei um absurdo uma Martha, uma Matilde, apesar de toda a sua cultura e esforço poius possui duas universidades uma Benedicta da Silva,pessoa que me decepcionou profundamente, pois nos tempos de outrora, antes de ser política foii uma pessoa brilhante no esforço e no combate às diferenças nos morros do Rio, virou política estragou entende o que eu quero dizer Enio? Nada contra a pessoa,a mulher ou ao homem na berlinda, mas contra o meio, o meio transforma Enio,alicia,modifica e corrompe, é preciso ter muita maturidade para ser político e se manter homem!

Com toda a segurança do mundo, afirmo a você que hoje em dia 95% dos que perambulam por aí disfarçados de homens, não tem digndade alguma para ser representante de ninguém, por isso sempre digo quando posso, gostaria um dia ver nascer dentro de um espaço democrático e de aberturas como por exemplo o balaio, um novo grupo de pessoas, gente que não esdteja préviamente envolvida com grupos já maculados e cuja reputação já não se salva, vejo por exemplo que é possível conversar com você, com o Simei, com o Luiz Carlos, com o Ricardo, com o Mauricio em sintonia e com a segurança de saber que estou sendo ouvido mesmo que as vezes não concorde com uma porrada de coisas que estão acontecendo, portanto eu acredito piamente que o futuiro da política austera neste país vira de espaços como o balaio, e dalki surgirão novos pensadores e reformistas da ética e dos conceitos de democracia, e eu tenho certeza Enio que a pessoas mais jovens e com saúde mental como você o Simei, e outros que mencionei, estará a missão de reger os rumso desta nação, pense nisso e veja se não estou pensando corretamente, porque não buscar soluções nas pessoas que as apontam constantem,ente, talvez seja uma via!
Fique com Deus, e tenha um bom começo de semana!
Abraços fraternos mesmo!

Mané!